O sonho está cada vez mais palpável

Finalmente minha passagem está comprada!
Recebi um email semana passada dizendo que meu visto fora aprovado. Liguei para agência que estava encarregada de resolver isso e eles disseram que significava que meu passaporte já podia ser liberado em São Paulo. No mesmo dia uma pessoa da agência pegou no consulado e mandou pelos correios. Por causa da minha ansiedade um pouco fora do normal pedi o código da encomenda e estou vigiando sua vinda pelo site dos correios. Provavelmente amanhã estarei com ele em mãos.
Sendo assim resolvi o pagamento da minha passagem. Como tive que comprar em cima da hora foi um pouco caro, porém, comprei ida e volta e vale bem mais a pena. A volta pode ser remarcada posteriormente pagando uma taxa.
Meu vôo será Recife – São Paulo – Toronto – Kingston e durará cerca de 22h. 
Avisei a minha mãe e ela me convidou para um acampamento logo no meu primeiro final de semana canadense! Mais ansiosa, impossível!

Introspecção I

Hoje pensei em desistir.

Que ideia inconsequente deixar pai, mãe, cachorro, amigos, namorado, casa, colégio.
Que ideia inconsequente deixar forró, brigadeiro, frevo, maracatu, calor.

Hoje pensei em desistir.

Minha mente martelava:
Você não vai conseguir
não vai conseguir
não vai
não
não posso pensar assim

Meu intercâmbio vai ser um desafio
Meu maior desafio
Vai me fazer sofrer e quase desistir, mas vai me fazer aprender.
Vai me mostrar que eu posso ser mais forte que a saudade, porque na vida a gente tem que aprender a lidar com ela.
Vai me ensinar a conviver com os outros e comigo.
Vai deixar que eu descubra quem sou de verdade.
Vai me mostrar que a vida é mais que isso que eu vivo agora
é mais que se preocupar com o que não interessa
é mais que não aproveitar o que se tem
Vai me mostrar que a vida é mais

Então eu não vou desistir. Não vou desistir porque acredito em mim, porque acredito que posso finalizar um projeto, que posso fazer aquilo que é certo e não aquilo que é cômodo.
E que posso
Ultrapassar as dificuldades
E ser
Feliz

Host brother

Há um mês o intercambista que ficará no meu lugar chegou ao Brasil, seu nome é Baudouin Becker e veio de pertinho de Lyon, na França. Além dele, minha cidade terá mais três intercambistas pelo Rotary: Canyon (americano), Denver (Canadense) e Andrea (Mexicana).
É um desafio para mim que sou filha única, ter um irmão. Porém, desafio maior está sendo para o casal que há 16 anos cuida de uma menina ter que se acostumar com um “marmanjo” de 17 (Obrigada, mãe e pai).
Ter um irmão é aprender a dividir, a compreender, estou portanto amadurecendo antes mesmo de tirar meus pés do Brasil! Apresento-lhes: Baudouin Becker.

IMG_2193IMG_2317

Pin e cartão

Cada vez mais me sinto uma intercambista. O fato é que cada pequena coisa que acontece faz com que “a ficha caia um pouco mais”
Recebi meus pins e meus cartões.
Os pins são bottons que os intercambistas do Rotary trocam quando se conhecem e colocam em seus blazers. A maioria prefere que o pin remeta só ao seu país de origem. Eu preferi que colocasse algo em relação ao meu “host country” também, por isso há na parte inferior algumas maples, as folhas da bandeira do Canadá. Outra coisa que descobri conversando com uma amiga dinamarquesa: A ideia de colocar o nome nos pins é brasileira e mexicana, as pessoas dos outros países não costumam fazê-lo.
Os cartões são feitos com informações pessoais (email, skype, telefone, endereço) para que os intercambistas não percam o contato. No meu, coloquei só o email para não ficar muito poluído.
Para ficar mais pessoal, eu pedi para um profissional fazer a arte dos meus pins e cartões. Tudo mérito dele: Flaw Mendes (visite-o: http://flawmendes.blogspot.com.br/). Achei diferente, inusitado e sereno, exatamente como eu queria.

 

cartão---iasmin

fotopin-final (1)

Visto

downloadO processo de visto para o Canadá é bem mais complicado e burocrático que o para os EUA, por exemplo.
Só há consulado canadense nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Para que eu não precisasse viajar, eu contei com a ajuda da Parati turismo (de Recife) no processo.
Primeiramente, se preenche um formulário para mandar online à São Paulo (no meu caso), juntamente ao passaporte, guarantee form (documento recebido do Canadá), autorização dos pais, fotos, cópia do RG, 3 últimos meses de extrato bancário, 3 últimos impostos de renda, declaração da escola brasileira e um pagamento (taxa consular).
Ao mandar os documentos, algumas semanas depois (aproximadamente duas, no meu caso) recebe-se um email com a liberação para fazer a consulta médica chamada IME, um número que você apresenta ao médico.
O médico deve ser juramentado pelo consulado canadense, ao realizar a consulta ele se comunica diretamente com Ottawa (também online) passando as devidas informações.
Serão pedidos também alguns exames (de sangue e raio x).
Não há profissionais juramentados na Paraíba, portanto esses procedimentos foram realizados por mim em Recife. A lista dos médicos possíveis vem juntamente com email do IME.
A partir daí você aguarda o seu passaporte chegar com seu lindo, esperado e estimado visto (o que eu estou fazendo desde quarta-feira).
É um processo lento que, portanto, não deve ser deixado para última hora!

Blazer e primeiros pins

Todo intercambista do Rotary leva consigo para sua viagem um blazer, para que ao longo do intercâmbio possa receber pins dos outros intercambistas que venha a conhecer. Assim, podemos levar um pouco das pessoas que conhecemos em nosso intercâmbio quando voltarmos. Pelo que pesquisei a grande maioria dos países coloca como padrão o blazer azul marinho (como é o caso do Brasil), porém alguns países usam blazer vermelho. Quanto ao modelo pode variar, mesmo a maioria das pessoas comprar o ‘tradicional’, é tanto que o meu é um pouco diferente, sua gola é menor e ele, mais aberto, como já disse isso não interfere em nada.
Image   Image

E a ideia que eu já tinha tido antes mesmo de comprá-lo se materializou. Meus primeiros pins foram da dinamarquesa mais brasileira do mundo! A primeira intercambista a me mostrar que esse programa vale realmente a pena.
Image

 

Holy Cross Catholic Secondy School

Morarei em Bath, mas estudarei em Kingston. Minha primeira host mom trabalha em um hospital em Kingston e disse que iria me deixar de carro em minha escola (são vinte minutos de onde moramos segundo ela). Meus irmãos por serem menores estudam em Bath e vão a pé para a escola.
Minha escola é católica e, até onde entendi, muito envolvida no mundo social, das artes e dos esportes, o que de fato me encantou. Com certeza minha maior dificuldade vai ser ser novata em uma escola, pois aqui no Brasil eu nunca fui, mas ser intercambista é correr risco e eu me dispus a isso.
Esse é o site da escola: http://hcss.alcdsb.on.ca/
Ela me pareceu bem séria e organizada.
Algo que me surpreendeu foi o fato de ter uniforme obrigatório, pois isso acontece apenas em uma minoria das escolas canadenses.
Daqui a alguns meses estarei vestida dessa forma:

girluniform1Como disse, ser intercambista é correr riscos! Hahaha.

Com ajuda do google localizei-a e, sinceramente, estou apaixonada.

Sem título

OLYMPUS DIGITAL CAMERA